Cirurgias Plásticas

Prótese mamária (mamoplastia de aumento)

A mamoplastia de aumento com uso de prótese vem aumentando exponencialmente nas últimas décadas e hoje já se tornou a cirurgia mais realizada pelos cirurgiões plástico no Brasil, ultrapassando a lipoaspiração nos últimos anos.

O procedimento consiste em implantar um prótese de gel de silicone altamente coesivo, revestido por uma cápsula também de silicone altamente resistente, em um plano (local), que pode ser abaixo da glândula mamária ou abaixo do músculo peitoral maior, a depender de características individuais de cada paciente (quantidade de glândula mamária).

As vias de acesso (incisões), pode ser feitas de três formas clássicas, pela axila, pelo contorno inferior da aréola ou pelo sulco mamário (dobra inferior das mamas), que é o mais utilizado pela maioria dos cirurgiões plásticos. A escolha da posição da cicatriz vai depender de vários fatores: preferência pessoal da(o) paciente, experiência do cirurgião plástico e características anatômicas (que mudam de indivíduo para indivíduo).

O volume do implante mamário vai depender das expectativas da(o) paciente em relação ao procedimento, da capacidade da pele de se esticar (elasticidade), excesso ou falta de pele para abrigar a prótese, largura do tórax e altura da(o) paciente, sabendo que sempre devemos estar atentos aos exageros (grandes demais ou pequenos demais) para evitar as grandes desproporções e alcançar resultados que sejam adequados para cada um de acordo as suas particularidades.

Muitas são as fabricantes de próteses mamárias, cada uma tem modelos e tamanhos distintos, mas que de certa forma se equivalem no tange a qualidade de resultados. Todas elas, que tem autorização para comercializar próteses no Brasil, precisam passar por rigorosos testes de qualidade que vão desde origem do produto até resistência a impactos e pressão, e posteriormente autorizados pela ANVISA para serem utilizados. A escolha do fabricante normalmente é feita pelo cirurgião plástico e obedece critérios pessoais para isso, como familiaridade com o produto, confiança, experiência de uso e resultados finais alcançados, mas nada impede que outras marcas possam ser usadas de acordo com a conveniência de cada caso.

Normalmente poucas são as complicações relacionadas ao procedimento, hematomas locais são as mais comuns e sempre que possível devem ser tratadas conservadoramente. Extrusões (expulsões) podem acontecer, mas são muito raras e geralmente podem estar associadas a infecções locais. Nestes casos pode ser necessário a retirada da prótese e nova cirurgia em três a seis meses para colocar novas próteses, vai depender de cada caso. “Contratura capsular” é uma complicação mais tardia, que se apresenta com alterações da consistência das mamas, da forma das mamas e pode gerar dor local. Normalmente as contraturas ocorrem após muitos anos, em torno de 8 a 12 anos, mas podem acontecer mais precocemente e a causa ainda é discutível. O tratamento para as contraturas, sempre que possível, é a troca dos implantes por outros novos.

Por fim, a mamoplatia de aumento com implante de silicone é uma das cirurgias plásticas de melhor custo benefício, com resultados excelentes, pouquíssimas complicações e índice de satisfação muito alto.