Urgente: hora de preparar a pele para o verão

Quem quer uma pele bonita e saudável no verão não pode começar a tomar os cuidados só quando chegar o mês de dezembro. Até porque boa parte dos procedimentos estéticos não invasivos têm os raios solares como inimigos, visto que utilizam substâncias que em contato com a radiação ultravioleta podem interferir nos resultados do tratamento e até mesmo causar danos.
Se você pensa em dar um “up” facial, este é um bom momento para realizar um Peeling Químico. Quer saber mais sobre isso? A dermatologista da Clínica Costa Daher, Dra. Darleny Costa Daher, explica o que é, como é feito, os benefícios e as contraindicações.
Entenda – O Peeling Químico é considerado um procedimento estético não invasivo baseado no uso de soluções químicas – ácidos, e utilizado para devolver a saúde da pele em áreas que apresentam sinais de desgaste e envelhecimento. É uma opção para rosto, pescoço, mãos e costas.
Durante a aplicação, os produtos aceleram a esfoliação, promovem a renovação celular (retiram as células mortas), aumentam a produção de colágeno, reduzem a oleosidade e, com isso, dão um novo aspecto com mais brilho e elasticidade.
Produtos – Normalmente, o dermatologista utiliza com mais frequência (isolados ou combinados):

  • Ácido retinoico, ácido tricloroacético (ATA), ácido glicólico, ácido salicílico, solução de Jessner e fenol.

Cada um tem suas próprias características e age de forma diferente no organismo.

Indicações:

O Peeling Químico é indicado para eliminar rugas, acnes, sardas, pintas, manchas senis (surgidas com o avançar da idade) provenientes de cravos e espinhas, cicatrizes, corrigir irregularidades na pigmentação, tratar os desgastes provocados pelo sol, reduzir as lesões pré-malignas e prevenir câncer de pele.

Tipos:

O procedimento têm três classificações, baseadas na intensidade com que as substâncias agem no organismo. Com isso, apresentam reações, resultados e durabilidade diferentes.
Superficial: considerado o mais simples por utilizar os produtos mais brandos. Remove só a camada mais externa e apresenta, inicialmente, resultados sutis, que se tornam mais visíveis à medida que o tempo passa. É usado para clarear a região e acabar com rugas e acnes leves.
Médio: retira as células epiteliais das camadas externa e média. Os resultados já podem ser vistos na segunda sessão. Indicado em casos de manchas, acnes e rugas mais evidentes e de irregularidades de pigmentação.
Profundo: tipo mais forte, com poder maior de penetração até o nível mais interno da derme. Ideal para situações que exigem uma ação mais intensa do produto. Exemplos: acnes, manchas e cicatrizes profundas, lesões pré-cancerígenas e resultantes da exposição excessiva ao sol.

Sessões:

O dermatologista aplica o produto na região desejada e deixa-o agir. O tempo varia de acordo com a substância utilizada. E, em alguns casos, o ácido precisa ser neutralizado com água.
Contraindicações: grávidas e lactantes, ferimentos na área a ser tratada, alergia à substância usada. Porém, o ideal é conversar com o dermatologista de forma que ele verificará os reais perigos.
Apesar de ser um procedimento não invasivo, o Peeling Químico não pode ser aplicado por pessoas não habilitadas e sem conhecimento da técnica. Recomenda-se fazer com um dermatologista que entenda dos produtos, tenha experiência nas combinações e que saberá dizer qual o melhor peeling para o seu tipo de pele. É importante lembrar que os agentes químicos, quando mal administrados, podem comprometer a situação da pele.
Quando há uma decisão de associar saúde e beleza e, ao lado disso, a escolha certa do profissional, as chances de resultados melhores e mais seguros aumentam. Não deixe o verão chegar. Esta é a hora de preparar o corpo para a estação do ano mais atraente.

Conheça a Dra. Darleny Costa Daher

Formou-se na Universidade de Ribeirão Preto (UNAERP), em 2006. Fez Residência Médica em Dermatologia, de 2008 a 2011, no Hospital Federal dos Servidores do Rio de Janeiro. Fez estágio opcional no Instituto de Dermatologia Prof. Rubem David Azulay da Santa da Misericórdia do Rio de Janeiro/RJ (2006) e estágio supervisionado no Ambulatório Souza Araújo, Laboratório de Hanseníase – IOC/FIOCRUZ (2010) e no Ambulatório de Esporotricose do Instituto de Pesquisa Clínica Evandro Chagas/FIOCRUZ (2010). A Dra. Darleny Costa Daher é, atualmente, médica dermatologista da Clínica Costa Daher.

Saiba mais sobre a Clinica Costa Daher

A Clínica Costa Daher está localizada no Centro Médico Lúcio Costa, na SGAS 610/611 Sul. A clínica foi inaugurada em março de 2016 e conta com 100 m2, distribuídos entre recepção, consultórios, administração e sala de procedimentos. No local, são oferecidos clínico, cirúrgico e procedimentos estéticos. A nova clínica é a realização de um sonho e foi planejada com foco no conforto do paciente, em primeiro lugar. O objetivo principal é fazer com que ele se sinta dentro da própria casa.
Na Dermatologia Estética: Laser, Peelings Químicos, Preenchimento, Toxina Botulínica Tipo A, Sculptra, IPCA (Indução Percutânea de Colágeno com Agulha).
Na Dermatologia Cirúrgica: Biópsia, Cauterização Química, Curetagem e Eletrocauterização e Excisão Cirúrgica.

Confira nossas últimas notícias